Indian Motorcycle, a Lenda Chegou !

February 23, 2016

 

Com este slogan a Indian do Brasil apresentou a imprensa as três primeiras motocicletas que já estão a disposição do publico brasileiro, a Scout, a Chief Classic e a Chief Vintage.

 

História

 

A longa historia da Indian Motorcycle Co. na realidade teve inicio em 1897 com a fabricação de bicicletas por George M. Hendee, o nome American Indian era de uma das bicicletas e como logo todos a chamavam apenas de indian, este nome viria a ser adotado por Mr. Hendee em 1898 por ser um nome de fácil assimilação e com isto melhor para os negócios. No ano de 1900 o engenheiro Oscar Hedstrom que também era fabricante de bicicleta viria a se tornar sócio de Hendee e em 1901 fundariam a indian Motorcycle Co. Esta sociedade perdurou até o ano de 1913 quando Hedstrom saiu por não concordar com outros diretores e em 1916 George Hendee também renunciou, a partir deste momento a Indian já em plena expansão foi dirigida por um pool de acionistas, após a segunda grande guerra mundial a empresa começou a decair sobretudo graças a concorrência direta da Harley-Davidson, a empresa viria a fechar as suas portas em 1953, até o ano de 2011 a Indian passou por vários proprietários mas nenhum conseguiu voltar a dar a marca o prestigio do passado, isto viria a mudar quando a empresa Polaris Industries em 2011 comprou suas ações, dois anos depois a Polaris anunciava os três primeiros modelos que seriam disponibilizados no mercado, a Chief Classic, a Chief Vintage e a Chieftain todas compartilhando o motor Thunder Stroke 111 e o mesmo chassi de alumínio.

 

As Clássicas Scout e Indian

Falar de Indian é lembrar das antigas Scout que foram produzidas entre 1929 e 1949 e certamente das Chief com seus clássicos para-lamas envolvendo as rodas, modelos estes que começaram a serem vendidas em 1922 com motores de 1000 cc e seguiram em produção até 1953, na realidade houve outros modelos, mas são estes dois que deram o start para a nova produção.

 

 

Indian no Brasil

A Polaris proprietária da marca viria a apresentar a Indian no Brasil pela primeira vez no Salão Duas Rodas em outubro de 2015, agora neste mês de fevereiro a Indian realizou um evento no Haras Tuiuti no interior paulista exclusivo para a imprensa especializada, com isto todos os jornalistas puderam apreciar e testar no circuito local os três primeiros modelos disponíveis para o mercado brasileiro.

Os dois modelos da Chief, a Classic e a Vintage compartilham quase tudo, mas visualmente as diferenças são bem marcantes, como o para-brisa removível, o duplo assento em couro premium na cor caramelo, os alforjes laterais também em couro e os faróis de neblina todos itens de série na Vintage. Na Classic o assento é originalmente fabricado apenas para o piloto, mas existe a venda assento e pedaleiras para a garupa.

 

CHIEF

Em ambos os modelos os belos e compartilhados destaques são, guidão alto e com toda a fiação elétrica embutida. Painel com velocímetro analógico e display digital com; conta giros, indicador de temperatura ambiente, indicador de combustível, consumo médio, voltímetro, indicador de marcha  e relógio, além das luzes de aviso, todo o comando é feito por botão no lado esquerdo do guidão. Pedaleiras do tipo plataforma e pedais de câmbio e freio traseiro avançados. Duplo escapamento cromado. Motor com muito cromado e destaque para a tampa de válvula com aletas de refrigeração que lembram os antigos motores Indian. Os Freios são um dos grandes destaques em ambos os modelos, na dianteira discos duplos, flutuantes de 300 mm de diâmetro e duplo pistão, na traseira disco simples também com 300 mm, ambos equipados com ABS e conectados com flexíveis Aeroquip. As suspensões são do tipo telescópica, com 116 mm de curso e 46 mm de diâmetro, na traseira a balança é fabricada em alumínio forjado com um amortecedor da marca americana FOX Racing com regulagem de pré-carga da mola e 94 mm de curso, este conjunto transmite muito conforto com excelente atuação durante as frenagens e nas curvas. Chassi modular construído em alumínio e com uma pequena entrada de ar na dianteira para alimentar o filtro de ar. Rodas raiadas com aro de 16 polegadas. Os clássicos para-lamas envolventes são marca registrada da família Chief entre outras, na dianteira o War Bonnet (cabeça do índio) é iluminado por LED. Acelerador eletrônico, cruise control (piloto automático) e partida do tipo keyless (sensor do sistema de presença) completam seus destaques mais visíveis.

 

Motor

A dupla Classic e Vintage tem um motor chamado Thunder Stroke 111 com 1.811 cc, V-Twin, com refrigeração a ar e a óleo, tem comando de valvular por vareta e utiliza duas válvulas por cilindro, ou seja, quatro válvulas no total. O câmbio é de seis marchas, bem escalonadas e com trocas muito macias e precisas, a transmissão secundaria é por correia. Este motor proporciona 161,2 N.m. a 3.000 rpm de torque, mostrando um ótimo folego durante os testes feitos no circuito onde mesclam subidas, descidas, curvas em alta e baixa, as respostas do motor sempre foram instantâneas e com muito conforto.

As cores para a Classic serão as Thunder Black e a Indian Motorcycle Red ao preço de R$ 79.990,00 reais. As cores da Vintage são Thunder Black e Willow Green & Ivory Cream com o preço de R$ 89.990,00 reais.

 

SCOUT 

Esta motocicleta considerada uma cruiser, foi mostrada pela primeira vez no evento anual de Sturgis no estado de Dacota do Sul nos Estados Unidos em 2014 e lançada comercialmente em 2015 quando recebeu o premio de Cruiser do ano. Diferentemente da família Chief onde a Indian produziu motocicletas muito semelhantes as do passado, o caso da Scout foi um pouco diferente, apesar de uma certa semelhança no design com as antigas Scout, a nova tem um alto grau de modernidade.

De perfil baixo e assento único revestido em couro, a Scout passa uma sensação de estradeira mas se o passeio for apenas até a padaria também será uma grande experiência. A altura do solo até o assento é de apenas 635 mm e claro que isto da a motocicleta uma sensação de uma máquina muito leve, ajudando em sua ciclística. A história da Scout é de respeito, em 1967 o piloto neozelandês Burt Munro (filme Desafiando os Limites) quebrava o recorde de velocidade para motos de até 1000 cc, ele simplesmente alcançou s velocidade de 320 km/h no deserto de Boneville em Utah, USA com uma Indian Scout modelo de 1920.

Hoje a nova Scout tem um moderno motor V-Twin de 1133 cc, DOHC

com refrigeração liquida, oito válvulas, com refrigeração liquida que desenvolve 97 N.m. a 5.900 rpm, isto com apenas 257 kg pronta para partir !

O seu chassi também é de alumínio forjado e feito em varias partes ajudando no baixo peso da motocicleta. A suspensão dianteira é do tipo telescópica com 41 mm de diâmetro e 120 mm de curso, já na traseira a balança é de alumínio forjado onde tem instalado dois amortecedores com regulagem de pré-carga  na mola e um curso de 76 mm, este conjunto se portou extremamente eficaz. Ambos os discos de freio tem 298 mm de diâmetro, na dianteira a pinça comporta dois pistões, na traseira a pinça é de pistão simples, como itens de série o modelo tem ABS e cabos flexíveis Aeroquip. Rodas de alumínio com medidas de 16 polegadas dão um ar mais moderno ao conjunto.

As pedaleiras são tradicionais com pedais de câmbio e freio traseiro montados avançados, junto com o guidão mais elevado passa conforto na pilotagem sem esticar os braços.

O seu painel é parecido com o da Chief, redondo contendo velocímetro analógico e um display digital contendo hodômetro total, parcial, conta giros, temperatura do motor e luz indicadora de reserva, todas as funções são escolhidas através de botão ao lado da manopla esquerda.

 

As cores a disposição são o Indian Motorcycle Red, Black Smoke e a Silver Smoke e o preço sugerido de R$ 49.990,00 reais.

 

Em resumo, a Indian Motorcycle chega ao Brasil com três modelos (ainda este ano teremos a Chieftain e a Roadmaster), todos de excelente qualidade e acabamento, certamente trará disputa no mercado das motocicletas custom, um segmento em constante crescimento, apesar deste momento econômico catastrófico que vivemos e que não sabemos quando irá acabar e se também irá afetar o mercado das chamadas motocicletas Premium.

 

Especificações

 

Chief Classic / Vintage

Motor: Thunder Stroke 111, V-Twin, refrigeração a ar, 4 válv.

Cilindrada: 1.811 cc

Potência: ND

Torque: 161,6 N.m. a 3.000 rpm

Transmissão: 6 marchas

Suspensão dianteira: garfo telescópico, 116 mm de curso

Suspensão traseira: monoamortecimento, 94 mm de curso

Freio dianteiro: 300 mm de diâmetro, ABS

Freio traseiro: 300 mm de diâmetro, ABS

Tanque: 20.8 litros

Peso seco: Classic 354 kg

Peso total: Classic 370 kg

Peso seco: Vintage 364 kg

Peso total: Vintage 379 kg

 

 

Scout

Motor: V-Twin, DOHC, refrigeração liquida, 8 válv.

Cilindrada: 1.133 cc

Potência: ND

Torque: 97,7 N.m. a 5.900 rpm

Transmissão: 6 marchas

Suspensão dianteira: garfo telescópico, 120 mm de curso

Suspensão traseira: duplo amortecedor, 76 mm de curso

Freio dianteiro: 298 mm de diâmetro, ABS

Freio traseiro: 298 mm de diâmetro, ABS

Tanque: 12.5 litros

Peso seco: 248 kg

Peso total:  257 kg

 

Fotos: Johanes Duarte

Fotos de Ação: Gustavo Epifânio

Vídeo: Indian Motorcycle

 

 

 

 

Please reload

© 2016 Photo and Road - ALL RIGHTS RESERVED

GET MORE FROM THE TEAM:

  • Instagram Clean
  • Facebook Clean
  • Twitter Clean