Ducati Scrambler – De Volta para o Presente

February 19, 2016

 

A italiana Ducati retorna com um modelo Scrambler após 39 anos depois do seu ultimo modelo, a Scrambler 450 de 1976.

 

Na verdade a história da Ducati Scrambler desenvolvida nos Estados Unidos é bastante interessante, durante a segunda guerra mundial, os húngaros Joseph e seu irmão Michael Berliner estavam presos no campo de concentração de Auschwitz na Alemanha onde conseguiram sobreviver graças as suas habilidade mecânicas, após a guerra em1947 imigraram para a América onde em 1951 começaram a distribuir a marca alemã de motocicleta, Zündapp, em 1958 começaram a importar e distribuir motocicletas Ducati, em 1961 as Norton e depois Moto Guzzi e Benelli. Como bons visionários que eram, os irmãos Berliner decidiram modificar algumas motocicletas Ducati Diana 1962 para o que seria conhecido como Scrambler, estas modificações começaram em 1962 a principio com modelos de 250cc e seguiram até 1976 com a Scrambler 450, também tiveram modelos de 125cc entre 1970 e 1971 e de 350cc entre 1968 e 1975. Nem é preciso imaginar o sucesso que alcançou entre os jovens norte-americanos dos anos 60 e 70 que procuravam por ousadia, liberdade e descobertas, a Scrambler caía como uma luva.

 

 

 

Em 2014 no Intermot, salão de motocicletas que acontece na cidade de Colônia na Alemanha, foi apresentada a Ducati Scrambler, com suas linhas que lembram as “antigas” motocicletas customizadas pelos irmãos Berliner porém com muito mais modernidade. Podemos dizer que se trata de uma motocicleta bastante simples mas com muita tecnologia.

A começar por sua mecânica derivada do motor Desmodrômico bicilindrico em L refrigerado a ar da Monster 796, com exatos 803 cc e 75 cavalos, a Scrambler teve um retrabalho na eletrônica deste motor para se adequar as necessidades desta motocicleta. Enquanto na Monster 796 os giros tinham que estar altos para mostrar todas as suas diabruras, na Scrambler este mesmo motor gira de maneira confortável e com respostas imediatas em qualquer rotação, a sensação de rodar macio em qualquer marcha é bastante grande, mesmo estando a 50 ou 60 km/h em sexta marcha o motor não fica falhando. Com uma câmbio bem escalonado, as mudanças de marchas são macias e precisas. Sendo um motor refrigerado a ar e totalmente exposto as pernas do piloto certamente que algum calor vai ser sentido, mas nada que tenha me tirado o prazer de pilotar esta “Bella Macchina”.

 

 

 

Envolto neste motor temos um chassi de aço em forma de treliça; na parte superior o guidão de desenho alto deixa a pilotagem muito fácil, os comandos de ambos os lados do guidão são simples e de fácil acesso; mais a frente e colocado propositalmente a direita está o painel de LCD com todas as informações necessárias, como, odômetro total, dois parciais, tacômetro, relógio, velocidade, temperatura do ar, range, além das habituais luzes de aviso, um LCD redondo que “casou” com o design da Scrambler; o farol redondo comporta um aro em LED branco para pilotagem diurna; o tanque de aço no estilo teardrop pode ser na cor amarelo 62’ ou vermelho Ducati e comporta 13.5 litros, na tampa do bocal a inscrição “Born Free - 1962” diz tudo; o assento é bastante confortável tanto para o piloto quanto para a sua companhia e para a sua segurança existem um espaço sob o assento em forma de alça; na parte inferior traseira do assento se esconde a lanterna e luz de freio em LED terminando com um para-lama bem curto.

 

 

 

O conjunto de suspensão dianteira é do tipo invertida da marca Kayaba de 41 mm de diâmetro e 150mm de curso, o freio é equipado com um disco simples de 330 mm de diâmetro e assistido por monobloco radial Brembo com 4 pistões e ABS. O conjunto traseiro é montado com uma balança de alumínio , amortecedor Kayaba com ajuste de pré-carga e 150 mm de curso, o freio é composto por um disco com 245mm de diâmetro, pinça flutuante com 1 pistão e ABS. As rodas são de liga leve, a dianteira com 10 raios, aro de 18 polegadas e pneus Pirelli MT 60 RS, na traseira a roda tem 10 raios, aro de 17 polegadas e pneus Pirelli MT 60 RS, ambos os pneus de uso misto onde puderam ser comprovados em estradas de terras e algumas trilhas que fizemos, aliás todo o conjunto de suspensão, freios e pneus se comportaram de maneira excelente em todos os pisos testados.

 

Na rede de concessionárias Ducati a Scrambler Icon tem o preço sugerido de R$ 38.900,00 reais.

 

Resumo

A Ducati Scrambler vai além do visual retrô, ela consegue ter uma ótima mobilidade na cidade assim como na estrada, suspensões bem ajustadas engolem com facilidade os desníveis, buracos e lombadas dos grandes centros. Ela ainda conta com uma entrada USB sob o assento para conectar o seu smartphone e recarrega-lo e finalmente, esteja preparado pois você deverá ser observado.

 

Especificações

 

Motor: Desmodrômico, bicilindrico em L, refrigerado a ar

Cilindrada: 803cc

Potência: 75 cv a 8.250 rpm

Torque: 68nm a 5.750 rpm

Transmissão: 6 marchas

Suspensão dianteira: Kayaba, invertida, 150 mm de curso

Suspensão traseira: kayaba, pré-carga ajustável, 150 mm de curso

Freio dianteiro: 330 mm de diâmetro, radial de 4 pistões, ABS

Freio traseiro: 245 mm de diâmetro, pinça flutuante com 1 pistão, ABS

Tanque: 13.5 litros

Peso seco: 170 kg

Peso total: 186 kg

 

Fotos: Johanes Duarte

 

 

 

Please reload

© 2016 Photo and Road - ALL RIGHTS RESERVED

GET MORE FROM THE TEAM:

  • Instagram Clean
  • Facebook Clean
  • Twitter Clean