AFRICA TWIN - A LENDÁRIA BICILINDRICA VOLTA AO MERCADO MUNDIAL

May 24, 2017

Criada no final dos anos oitenta, nascia a primeira da série como Africa Twin XRV650 e depois a XRV 750 que perdurou até o ano de 2003 quando a Honda Japão a retirou do Mercado. Mas não podemos deixar de citar a sua fama nas provas do Paris Dakar de 86 a 89 quando venceu simultaneamente com a NXR 750 entre 86 e 87, depois com a NXR 800 em 88 e 89, estes protótipos é que derivaram para a versão de rua Africa Twin XRV 750 em 1990 e que como citei logo no começo, ficaram em linha até 2003.

Com o crescimento mundial das Big Trail entre outras grandes marcas do mercado, tais como KTM, BMW, Yamaha, Triumph e Ducati a Honda voltou a apresentar um protótipo com o mesmo nome, Africa Twin CRF 1000L no EICMA em Milão na Itália no de 2014, mas somente em novembro de 2015 é que a imprensa especializada pode ter o primeiro contato com o modelo, em 2016 ela  chegou ao mercado europeu e asiático em duas versões, com o tradicional câmbio manual de seis marchas e com o chamado DCT ou Dual Clutch Transmission, câmbio com dupla embreagem que pode ser utilizado de maneira manual através de duas alavancas (como na VFR 1200X) no guidão ou no modo totalmente automático onde basta apenas acelerar.

 

O lançamento para a imprensa brasileira aconteceu em novembro de 2016 na bela Campos do Jordão no interior de São Paulo e tendo como guia um dos maiores nomes do rally brasileiro, Jean Azevedo, não poderíamos ter um cicerone melhor que este para uma motocicleta como esta.

Vamos falar de algumas de suas caraterísticas e qualidades, no melhor sentido de uma Big Trail. Como proposta principal da Africa Twin é de uma motocicleta pronta para encarar qualquer situação, a Honda começou incluindo roda de aro 21 na dianteira e 18 na traseira, claro que raiadas para encarar um off-road mais a sério, os freios na dianteira são com disco duplo de 310 mm de diâmetro flutuantes, radial e com pinça de quatro pistões, a traseira o disco simples tem 256 mm de diâmetro e pinça com duplo pistão, este conjunto de freios são equipados com ABS e que pode ser desligado na roda traseira quando em uso off-road. O chassi de berço semiduplo em aço tem desenho semelhante a outros modelos da família CRF, abraçando todo o motor, aliás a Africa Twin com este bicilindrico paralelo tem um cabeçote que utiliza a mesma tecnologia Unicam das “CRF”, dando mais leveza e que contribui muito para o baixo centro de gravidade da motocicleta. O seu bloco bicilindrico tem exatos 999,1 cc, OHC, oito válvulas, refrigeração liquida, potência máxima de 90,2 cv a 7.500 rpm, torque máximo de 9,3 kgf.m a 6.000 rpm, transmissão de seis velocidades (não temos no Brasil a opção DCT), tanque de combustível de 18,8 litros, HSTC que é o sistema do controle de tração em três níveis mais a posição desligado, tomada 12 volts e farol de LED.

 

As suspensões tem grande relevância neste produto, vejamos, na dianteira ela é equipada com bengalas invertidas da marca Showa e com 230 mm de curso, 45 mm de diâmetro, com regulagem de compressão e retorno, na traseira o sistema de monoamortecimento é equipado com o tradicional Pro-Link, seu amortecedor oferece até 220 mm de curso, com ajuste de pré-carga realizado através de botão giratório do lado esquerdo da motocicleta, isto proporciona fácil regulagem quando estiver com garupa ou muita bagagem.

Na parte superior ao conjunto, podemos observar a sua bela carenagem que envolve o farol bipartido, a bolha de proteção as intempéries, guidão em alumínio no estilo motocross, protetor para as mãos, assento bipartido com regulável em dois níveis de altura para o piloto, assento sem regulagem para a garupa mas com um ótimo tamanho e qualidade na espuma para poder encarar muito tempo na estrada, A CRF 1000L já vem de fabrica pronta para receber baús laterais e superior da Honda, sendo necessário o uso da chave de contato para abrir as tampas ou para retira-los da motocicleta.

O lindo e completo painel tem todas as informações ao seu dispor com setup efetuados diretamente por tecla instalada no guidão, assim tempos, um superior com conta-giros, velocidade e marcador de gasolina, no superior temos, relógio, indicador de marcha, indicador do nível de controle de tração, odômetro total, dois hodômetros parciais, temperatura do motor e ambiente, e consumo médio. Na lateral do painel temos luz aviso de Neutro, reserva do combustível, ABS e setas direcionais. Um outro fator positivo para esta big trail é o seu peso (212 kg) e a altura do assento  para o piloto (850 mm LOW e 870 mm STD).

Nos vários quilômetros percorridos juntamente com o piloto Jean Azevedo (boa parte na terra) foi possível sentir realmente a engenharia desta motocicleta e seu baixo centro de gravidade, tanto na pilotagem sentado quanto em pé nas situações off-road, a CRF 1000L mesmo estando com os pneus originais não se deixou desgarrar. Nota dez para a sua ciclística, motor, suspensões e sobretudo pela sensação de um motocicleta muito leve. No uso urbano o único senão pode ser quando utilizando os baús laterais, o cuidado passa a ser redobrado, já que os mesmos ficam mais largos do que o guidão, sem o uso destes baús a condução é totalmente tranquila em qualquer situação.

 

A Honda disponibiliza a CRF 1000L Africa Twin em duas cores, branca perolizada com detalhes em azul e vermelho e a vermelha com detalhes em branco e preto, com preços à partir de R$ 66.169,00 reais e a versão TE com protetor de tanque, baú superior e laterais, parabrisa alto e cavalete central ao preço sugerido de R$ 76.304,00 reais.

 

 

 

Please reload

© 2016 Photo and Road - ALL RIGHTS RESERVED

GET MORE FROM THE TEAM:

  • Instagram Clean
  • Facebook Clean
  • Twitter Clean